Abepss Itinerante reúne assistentes sociais para debater sobre os fundamentos da profissão

O objetivo do evento é de fortalecer o projeto de formação profissional do serviço social

Nesta terça-feira (28.08) aconteceu a abertura da 4ª edição do projeto ABEPSS Itinerante, projeto que traz oficinas por todo o Brasil, e que segue até quinta-feira (30.08), no Centro Universitário de Várzea Grande (UNIVAG), em Várzea Grande (MT). O encontro, que é organizado pela Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social (ABEPSS) e conta com o apoio do Conselho Regional de Serviço Social 20ª Região (Cress/MT), reúne docentes, supervisoras/es de estágio e discentes de graduação e pós-graduação.

O objetivo do evento, que tem como tema central “Os Fundamentos do Serviço Social: As atribuições e competências profissionais em debate”, é de fortalecer o projeto de formação profissional do serviço social brasileiro no contexto atual. Além de debater e refletir sobre as estratégias de enfrentamento diante de um cenário tão adverso.

De acordo com a facilitadora do projeto e professora de Serviço Social da UNB, Janaina Duarte, a discussão sobre fundamentos é muito ampla, pois para discutir o trabalho profissional e a formação profissional em sua articulação como unidade, não dá para descolar dessa inserção a profissão na sociabilidade. “Dentro da totalidade da sociabilidade capitalista, onde está nossa profissão? Onde ela se insere? Que demandas se colocam para ela? Quais os desafios para a nossa profissão? São alguns pontos que iremos tratar”, apontou.

Janaina ressaltou a importância da reflexão sobre as atribuições e competências profissionais à luz dos fundamentos do Serviço Social, no atual contexto de precarização das condições de trabalho dos/as assistentes sociais.

“No âmbito de formação profissional, o crescimento avassalador do EAD na atualidade é um grande desafio. Um aluno que tem uma formação mais aligeirada, mais frágil, que não possui o debate do coletivo, como é no presencial, que já tem suas fragilidades, já possui desafios, imagina como que fica esse estudante a distancia. Já no contexto de exercício profissional, as regressões nos Direitos Sociais como a reforma trabalhista e previdenciária, a minimização de direitos, a ampliação da pobreza e da violência, são desafios e questões que repercutem no exercício de nossa profissão, uma vez que a gente trabalha diretamente com a população, a classe trabalhadora”, explicou .

A facilitadora destacou ainda que é necessário ponderar de que forma enfrentar esses desafios e se a categoria está preparada para isso. “Esse evento, é uma articulação essencial, uma maneira de nos prepararmos para esses desafios, de buscar estratégias de enfrentamento, respostas qualificas e críticas. Já que muitas vezes observamos uma lógica pragmática no desenvolvimento das competências profissionais, centradas nas demandas das instituições e dos empregadores sem o necessário reconhecimento da direção social crítica da profissão. É preciso construir um panorama das questões emergentes no âmbito da formação e do trabalho e que precisam ser enfrentadas de forma coletiva pela categoria, por meio da retomada da perspectiva crítica e dos fundamentos da profissão”, afirmou Janaina Duarte.

A coordenadora regional do Abepss Itinerante, Ivna de Oliveira Nunes, complementou ainda que o projeto é uma ação de fortalecimento das estratégias em defesa da formação. “Serão três dias de discussões sobre a profissão, com ênfase nos Fundamentos do Serviço Social, que é uma demanda que surgiu no último encontro da categoria. Além disso, serão tratados os aspectos teóricos, metodológicos éticos e políticos da profissão, que nos últimos anos tem sofrido com o aligeiramento da formação e com os avanços das forças neoconservadoras, que atravessam o Serviço Social. E é preciso discutir a profissão a partir desse cenário atual”, disse.

Para a assistente social do CAPS AD de Várzea Grande, Joyce Thays Pereira dos Santos, esta edição será de extrema importância para ela. “No encontro anterior participei como aluna, agora retorno como profissional e supervisora de campo e será uma oportunidade de aprofundar os conhecimentos enquanto profissional e assistente social, compromissada com os direitos da classe trabalhadora. Além de ser sempre pertinente relembrar o projeto ético-político da categoria”, comentou.

A coordenadora da Comissão de Formação Profissional do Cress/MT, Suzi Costa, complementou ainda que a realização do projeto ABEPSS Itinerante integra não apenas o plano de atividades da Comissão, mas também o Plano de Lutas em Defesa da Formação e do Trabalho Profissional e Contra a Precarização do Ensino Superior, reafirmado em conjunto pelas instâncias político-organizativas da categoria – além do conjunto CFESS-CRESS e da ABEPSS.

“Entendemos que a formação profissional é um processo continuado e que não se limita a graduação, em sintonia com a política de educação permanente do conjunto. E o projeto se materializa como espaço formativo, na perspectiva da educação permanente, e também como espaço de construção de estratégias para a garantia da direção crítica da profissão nos espaços onde os/as assistentes sociais estão inseridos/as”, finalizou.

Fonte: Assessoria de Imprensa Cress/MT – ÍconePress


publicado 28/08/2018 19:19 notícia