Gestão 2020-2022 – Representante do CRESS/MT assume cadeira no Conselho Estadual de Saúde

Foto: Mayke Toscano/Secom-MT

Assistente social Flávia Tereza do Nascimento é conselheira do CRESS na atual gestão e será vice-presidente da próxima

 

O Conselho Regional de Serviço Social da 20ª Região (CRESS-MT) passa a ser membro titular do Conselho Estadual de Saúde de Mato Grosso (CES/MT) no biênio 2020-2022, e será representado pela assistente social Flávia Tereza do Nascimento, que é conselheira do CRESS na atual gestão e será vice-presidente da próxima, que tomará posse no dia 15 de maio.

A cerimônia de posse dos novos conselheiros titulares e suplentes do CES/MT ocorreu na tarde desta quarta-feira (06/05) no auditório Garcia Neto, no Palácio Paiaguás, em um evento restrito aos conselheiros, por conta da recomendação de distanciamento social. Para Flávia, é uma honra para o CRESS/MT participar da composição do Conselho Estadual de Saúde, principalmente em um cenário de pandemia provocada pelo novo coronavírus (Covid-19) que tem causado muitas mudanças na vida das pessoas.

“Ficamos muito satisfeitos em ter uma cadeira no CES, considerando que a categoria profissional do Serviço Social tem o compromisso com a defesa e garantia de direitos, participar de ações em defesa do SUS de caráter público, gratuito, 100% estatal e de qualidade, bem como em defesa das condições de trabalho dos/as assistentes sociais, resistindo às diversas formas de privatização da saúde”, afirma Flávia.

O Conselho Estadual de Saúde de Mato Grosso (CES/MT) é um órgão colegiado, de decisão superior, de caráter permanente e deliberativo. É formado por representantes de vários conselhos profissionais da área de saúde como de Enfermagem, Medicina, Odontologia, Educação Física, entre outros. Tem o objetivo de acompanhar e avaliar a execução das ações da saúde, aos conselheiros cabe ainda, formular prioridades da política do Sistema Único de Saúde (SUS), em conjunto com a equipe de saúde da gestão governamental. O colegiado é formado por profissionais de saúde (50%), profissionais de saúde (25%) e governo e prestadores de serviços em saúde privados, conveniados ou em fins lucrativos (25%).

 

 

 


publicado 06/05/2020 17:51 notícia